quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Miss you, sis!

A minha Osguinha foi para Lisboa no Domingo. Mudou de emprego (para melhor) e tem de lá ficar duas semanas a fazer formação.

O problema é que nós somos tipo gémeas siamesas e quando ela me falta, sinto sempre que não estou bem, que estou incompleta. É estranho não ter com quem ver a Teoria do Big Bang e O Caminho das Índias; não ter a quem contar as peripécias lá do meu trabalho, não ter a quem perguntar se os brincos dizem bem com o colar... Sinto falta de a chatear para ir tirar as lentes de contacto, quando ela adormece no meu quarto; de me irritar com a bagunça que ela deixa na cozinha, de cada vez que prepara um simples chá; de tropeçar nos sapatos que ela abandona espalhados pela casa toda... Por muitas sms e mms que enviemos, por mais chamadas e videochamadas que façamos, as saudades vão continuar até ser Sexta-feira à noite.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ponho o cadeado na boca ou no frigorífico?

Tenho o frigorífico cheio de leite creme, daquele caseiro, de comer e chorar por mais, cremoso, bem queimadinho por cima... E o provocador não pára de gritar o meu nome. Até de porta fechada o consigo ouvir...!
Preciso urgentemente de uma distracção qualquer, caso contrário vou acabar por sucumbir ao seu chamamento!

Sem querer desvalorizar a penicilina, a luz eléctrica, o wonderbra, as lentes de contacto, o ipod, a pasteurização...

Um grande bem haja a quem inventou as vídeochamadas e os telefones 3G.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Podia ter sido um dia verde, mas foi um dia negro

Se não tivesse acabado de chegar a casa, depois de ter entrado ao trabalho às 9 da manhã, poderia ter ido ver os Green Day. Mas não, eu tenho de trabalhar que nem uma escrava, de abdicar dos prazeres da vida para tentar acautelar um futuro minimamente razoável. Para isso e para que o Sócrates continue a ter verba para financiar o ócio e a preguiça de uns e de outros.

Ninguém disse que a vida era justa, realmente...

'Cause I want to be the minority
I don't need your authority
Down with the moral majority
'Cause I want to be the minority

"O país endoidou!"

Desta vez, sou mesmo obrigada a concordar com o Alberto João Jardim. Depois de todos os escândalos, da prepotência, da censura a quem ousava criticá-lo, eis que o engenheiro (cof cof cof, que licenciaturas ao Domingo para mim não contam como tal) José Sócrates vai continuar no poder, ainda que com maioria relativa. Criminalidade violenta a aumentar, desemprego a bater recordes, empresas a encerrar diariamente, manifestações a torto e a direito e vai-se a ver, quando o povo tem a possibilidade de correr com este traste do governo, eis que lhe voltam a garantir o tachinho. Estou francamente desapontada. Toda e qualquer esperança que eu pudesse depositar neste país se perdeu esta noite.

É nestas alturas que eu me lembro de algumas discussões já travadas na Grécia antiga, a propósito da razão das maiorias e da perversão que pode resultar da democracia. Basta recordarmo-nos que alguns dos mais despóticos e sanguinários governantes chegaram ao poder democraticamente (o Hitler, por exemplo). Chamem-me ditadora, mas quase que me apetece dizer que o voto não deveria ser um direito naturalmente adquirido por todos os cidadãos aos 18 anos. Para mim, o direito de voto deveria ser conquistado pela aprovação num qualquer teste de discernimento, de consciência política, de razão crítica devidamente fundamentada e independente da idade que se possui. Talvez assim se evitassem catástrofes como esta, que acabámos de presenciar.

Olhando para os resultados destas legislativas, só posso mesmo pensar duas coisas: ou somos um país de masoquistas, ou todos aqueles a quem o PS incitou à preguiça e ao parasitismo (através de subsídios, rendimentos sociais de inserção e e outras medidas que tais) resolveram hoje unir-se e agradecer a benesse de passarem o dia todo em casa (uma casa que lhes foi atribuída pela Segurança Social, claro está, que comprar casa é para os burros que trabalham) ou no café, na certeza de que o chequezinho lhes vai parar às mãos todos os meses, sem que para isso tenham de fazer mais do que manter-se vivos.

Não estou com isto a dizer que sou contra a protecção social, mas antes a manifestar a minha desaprovação para com os moldes em que ela vem sendo praticada. Basta um passeio pela baixa do Porto, a partir das 20h, para me questionar onde estão os subsídios e a habitação social para todos aqueles sem-abrigo, na sua maioria já idosos, que se amontoam à porta das lojas já fechadas, sob caixas de cartão e jornais velhos, sem dignidade alguma. Mas, infelizmente, aquilo com que mais me deparo são jovens saudáveis para quem a hipótese de fazer parte da força laboral nacional está completamente fora de questão, porque usufruem de um rendimento mensal que, não lhes permitindo fazer fortuna, também não os deixa passar necessidades. Acomodam-se àquele valor, que lhes vem ter às mãos sem esforço, recusam propostas de integração no mercado de trabalho, pedincham todos os bens que o resto de nós trabalha para ter. É a velha história: em vez de lhes darem a cana e de os ensinarem a pescar, dão-lhes o peixe (já cozinhado e sem espinhas, acrescento eu!); é certo que não é salmão nem bacalhau, mas a sardinha também mata a fome.

Aguardam-nos 4 anos do mesmo. Eu vou continuar a trabalhar que nem uma desgraçada para entregar 45% (!) do meu salário ao governo e continuar a não ter direito a baixa, se algum dia vier a necessitar da mesma (três pancadas na madeira), ou de subsídio de desemprego, caso me dêem um chuto no rabo (e podem fazê-lo a qualquer momento, uma vez que faço parte daqueles portugueses que trabalha em regime de falsos recibos verdes); os pequenos empresários vão continuar a ver o cerco fiscal a apertar-se cada vez mais; todos os que efectivamente precisam vão continuar a não ter qualquer ajuda, a viver numa pobreza de partir o coração; os jovens que queiram evoluir, que tenham ambição, vão permanecer acorrentados num país que promove a passividade e a mediocridade... E o chico-espertismo vai continuar a ser premiado, à boa imagem e semelhança do que se tem passado com a própria vida do senhor Primeiro Ministro.

É isto que temos... E não dá para mais. Salve-se quem puder, que aqui vamos nós em queda-livre!

domingo, 27 de setembro de 2009

Os rebeldes sem causa da esquerda

Há alguém com mais de 35 anos que vote no Bloco de Esquerda? Ok, alguém com mais de 35 anos que não seja (pseudo)artista ou com complexos de alternatividade que vote no Bloco de Esquerda? Bem me parecia.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Não quero dar umas de Edite Estrela, mas...

...aquela pessoa com quem se vive conjugalmente é o cônjuge, percebido? E ao verbalizarem a palavra, lembrem-se daquilo que aprenderam na 1ª classe, que quando seguida de um e ou um i, a letra g se lê como se de um j se tratasse.

Isso do conjugue não existe. Ou melhor, até existe, mas como forma do verbo conjugar, no modo conjuntivo, no tempo presente, na primeira ou terceira pessoa do singular (Exemplo: "que eu conjugue bem as cores.").

E pronto, mais uns posts tão educativos como este e o meu blog está apto a certificar-se numa norma qualquer de responsabilidade social.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Nostalgia #8

Eu ainda sou do tempo do Dartagnan, antes mesmo do Dartacão existir.

"Só com amigos é que é bom viver, só com amigos é que é bom brincar..."


Às vezes quase que me esqueço. Quase.

Teoria do Big Bang* - a minha nova obsessão

O que eu me rio graças a estes 4 geniozinhos (quase) completamente desprovidos de competências sociais e de relacionamento interpessoal! O meu preferido? O mais geek deles todos, claro está, o Sheldon!

* De segunda a sexta-feira, às 20h40m (aproximadamente), na RTP2.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Equinócio de Setembro

Aconteceu ontem , dia 22, às 22h19m, marcando assim o início do Outono. Foi um início bem quentinho, como eu gosto, mostrando que o Verão está com vontade de ficar e que vai dar luta antes de se render. Mas embora o Verão seja a minha estação de eleição, sei apreciar a beleza de cada época, e o Outono tem realmente qualquer coisa de especial.
Pois que venha ele, que eu estou preparada para ver as folhas cair, para as primeiras chuvas que lavam as ruas, para voltar aos casacos e às galochas, para os magustos, para o halloween, para as primeiras decorações de Natal... Sim, que venha rápido, que só de escrever estas linhas fiquei em pulgas!

Obrigada, sim?

Chegou a minha vez! Acabo de receber sms da Direcção Geral de Saúde a pedir-me para, se estiver na presença de sintomas de gripe, ficar em casa e ligar para o 800242424.
É que caso eu tivesse andado completamente alheada do mundo nos últimos 5 meses, esta mensagem simpática seria extremamente esclarecedora, não deixando qualquer margem para duvidar daquilo que está aqui em causa. Ou será que a ideia é falar-me ao coração e demover-me de um eventual plano demoníaco que constasse em contrair gripe A e meter-me no metro em hora de ponta, com um febrão de 39ºC, a tremer de frio, com dores pelo corpo todo e a vomitar as tripas, fazendo o percurso da linha amarela vezes sem conta, espirrando e tossindo para cima de tudo e todos?

sábado, 19 de setembro de 2009

Hey teachers, leave Miguel Sousa Tavares alone!

Acabei de receber por e-mail uns ficheiros PDF com os livros do Miguel Sousa Tavares. Aparentemente, e pelo que li no texto que os acompanha, trata-se de uma vingançazinha de alguns professores, que muito ofendidos com a polémica afirmação do escritor ("Os professores são os inúteis mais bem pagos deste país.") acharam que assim boicotariam as vendas das suas obras: "Aqui o têm, não comprem... e ofereçam-no aos vossos amigos e conhecidos, sejam magnânimos, ofereçam ao maior número possível de pessoas."

É só a mim que isto me parece do mais infantil que pode haver? Será que alguém acha que é assim que vai conseguir contribuir para a queda das vendas dos livros do senhor? Por favor, isto até é publicidade...! As pessoas que queiram ler o livro sem o pagar, não vão estar à espera de receber este e-mail para o fazer, há milhentas formas de o obter. E do mesmo modo, quem tenha a intenção de o comprar, também não vai deixar de o fazer só porque recebeu os PDF's.

Vejam se crescem! E se arranjam uma vida! E se compreendem que as pessoas têm direito a expressar as suas opiniões, por muito que elas vos desagradem! Isto já para não mencionar o facto de o e-mail conter vários erros ortográficos, o que, como todos sabem, é sempre uma poderosa arma de combate quando se tenta denegrir a imagem de um mestre da escrita. Enfim...!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Fico chateada, com certeza que fico chateada!

Odeio quando não estou a trabalhar e me ligam para o telemóvel a incomodar com assuntos de trabalho. Principalmente quando são merdinhas simples e fáceis de resolver.
Se eu tivesse um trabalho em que a salvação do mundo (ou mesmo a de alguém) dependesse de mim, até compreendia. Mas não é o caso. Tenho bastantes responsabilidades, mas não tenho por hábito deixar coisas importantes pendentes, por isso todas as situações que surjam podem perfeitamente esperar pelo dia seguinte. Ninguém morre por isso, e daí não advém prejuízo algum para a organização.
Isto acontece com tanta frequência (todos os dias, alguns várias vezes) que começo a achar que já não o fazem por burrice ou por serem completamente atadinhos, mas antes por maldade, pelo prazer perverso de me importunar no pouco tempo que tenho livre.

Coisas de quem tem TAG

Osguinha: 'Tá a começar o Às 5 para a meia-noite.

Cinderela: Obrigada por avisares. Na Fox Life 'tá a dar a Betty Feia.

Osguinha: Eu vi ontem a Betty. Vou ver isto agora.

E este até poderia passar por um diálogo normal entre irmãs, não fosse o facto de ter decorrido por sms, estando as duas debaixo do mesmo tecto: ela, na sala, e eu, no meu quarto, a escassos metros de distância.
É o que acontece quando as mensagens à borla, o facto de já ser um bocado tarde para berrar e a preguiça de levantar o rabo (ela, do sofá, e eu da cama) se conjugam nas mesmas pessoas.


P. S. - A minha irmã é a mais fofi de todos os tempos: há pouco insinuei que queria - Ok, pedi descaradamente! - um sumo de laranja natural e ela não só se deu ao trabalho de o fazer, como ainda me veio trazê-lo ao quarto.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Hoje...

... É o teu dia de aniversário. Não importa que já cá não estejas, não importa se nunca mais vier a escrever sobre ti. Mas podes ter a certeza de que nunca me hei-de esquecer que nasceste a 16 de Setembro, há muitos calendários atrás.
No sítio para onde foste não deves ter ligação à Internet, por isso provavelmente não irás ler o meu blog. Mas sei que me consegues ver e que reparaste como eu me continuo a lembrar do teu dia.

Também me lembro daquele outro, em que partiste, em como me senti culpada pela nova paixão me ter impedido de te ir visistar à tua cama de hospital, na véspera, desperdiçando assim aquela última oportunidade de te ver com vida. Esse peso vai sempre esmagar-me o coração.
Enquanto estiveste consciente, enquanto sabias apreciar as minhas visitas, falhei poucas vezes. Recordo-me de chegar da faculdade perto das 20horas e ir sem jantar para a tua beira, para desespero da minha mãe, que temia pela minha segurança ao andar sozinha, de noite, numa zona tão mal frequentada. Desculpa se em muitas dessas vezes o cansaço não me deixou ficar contigo tanto tempo como merecias. Mas sabes que no caminho até ao carro vinha sempre a rezar por ti? E sabes que as minhas orações eram regadas a lágrimas? Pois sabes... Agora já sabes.
Pouco tempo antes de nos deixares, quando o teu corpo já estava demasiado fraco para suportar a força do teu espírito, quando já nem os olhos conseguias abrir, tive um momento de fraqueza e chorei junto a ti. Chorei muito, porque nesse dia percebi que ia ter de me habituar a não te ter no meu mundo (pelo menos não da forma como eu sabia ter-te até então). Fiz-te muitas festinhas no cabelo e disse-te ao ouvido que gostava muito de ti. Sei que de alguma forma ouviste as minhas palavras, por isso também me arrependo de ter chorado, porque deves ter percebido a tristeza na minha voz. Lamento que as últimas recordações minhas que tenhas levado para esse lado não tenham sido sorrisos e gargalhadas, mas a dor era demasiado forte para ser contida.

Não te vou falar da mulher em que me tornei, porque sei que tu assististe a tudo, sei que estiveste sempre lá, que foste tu quem me ajudou nas minhas (ainda) pequenas conquistas, que me amparaste a queda de cada vez que a vida me puxou o tapete. Em todas essas ocasiões, pensei em ti. Pensei em ti quando te dediquei a minha tese de licenciatura, quando festejei o final do curso, quando arranjei emprego... Mas também pensei em ti quando soube deste problema de saúde e que ele me poderá vir a dar uma morte muito parecida com a tua, quando a minha mãe ficou doente, quando os médicos não sabiam dizer se algum dia ela voltaria a andar, quando agora recentemente o fantasma do cancro pairou sobre ela... Sei que estiveste sempre lá comigo, por isso é que aprendi a viver sem pensar muito na minha própria saúde, a ver o lado positivo e a pensar que poderia ser bem pior; foi por isso, por estares lá, que a minha mãe desafiou a ciência e está aí com (quase) tanta genica como antes, a melhorar aos poucos, capaz já de dar caminhadas consideráveis ao meu lado, e sem qualquer problema oncológico...

Obrigada por não me abandonares. E hoje, que fazes anos, é dia de celebrar a tua existência, a vida que viveste e que permitiu que fizesses parte da minha, e a tua vida actual, superior, além do plano físico, que te mantém presente nos bons e maus momentos.

Feliz aniversário!

Up - Altamente! (E foi mesmo)

No fim-de-semana fui ver o UP - Altamente!, a mais recente produção Disney-Pixar.
Ia um pouco reticente, não estava com grandes expectativas relativamente ao filme, mas devo dizer que ele é realmente muito bom.
Do ponto de vista gráfico, está irrepreensível; a banda sonora também foi bastante bem conseguida. Mas a estória...! A estória está um encanto! Aborda temas reais, temas duros, até, como a morte, a velhice e a decadência a ela associada e mistura-os com uma dose da mais pura fantasia (veja-se a casinha que levantou vôo com a força dos balões). Daí resultou uma conjugação deliciosa!
Eu, que não sou nada fácil de comover, tive de me conter uma ou outra vez para não verter uma lágrimazita atrevida. Em vários momentos, dei por mim com aquele sorriso embevecido, vidrada no écran. Por muito que pareça estranho (a mim, inclusivamente), tenho de admitir que há já algum tempo que um filme não mexia tanto comigo como o Up foi capaz de fazer.

Saí do cinema a reflectir na importância dos sonhos, na nossa capacidade de os ajustarmos à realidade e em como é essencial, por vezes, abdicarmos das velhas recordações em prol de novos projectos e aventuras, de novas relações e laços.
Se tiverem oportunidade, não deixem de ir ver. Até os corações mais empedernidos vão adorar!

Dear Santa #7

Quero uma guitarra destas, igualzinha à que o Noel Gallagher tinha (mais ou menos até 2002), e com a qual foram gravadas algumas das melhores músicas dos Oasis.


Epiphone Union Jack Supernova

E já agora, também dava jeito um curso para aprender a tocar, já que não a quero só para decoração.

Por favor! Por favor! Por favor!!! Vá lá...!



terça-feira, 15 de setembro de 2009

Hope you've had the time of your life

Patrick Swayze, o motivo pelo qual vi o Dirty Dancing umas 1000 vezes.


1952 - 2009

R.I.P.

E aqui vai a minha cena preferida do filme, em jeito de homenagem:

Nobody puts baby in a corner!

Arrumadores: o meu ódio de estimação

Lugar apertado, mas o único num raio de quilómetros. Arrisco a manobra de estacionamento, desligando o rádio, como sempre faço quando me quero concentrar. Três centímetros para a frente, com o volante todo virado para a direita; dois centímetros para trás, com a direcção toda à esquerda. Repito esta rotina umas 20 vezes antes de finalmente ter o carro devidamente estacionado.

No momento em que me estou a vir embora, aproxima-se o arrumador.

Arrumador: "Desculpe ter chegado atrasado, senhora!"

Cinderela: "Ah? Como...?"

Arrumador: "Estou-lhe a pedir desculpa por ter chegado atrasado...."

Cinderela: "Não tem nada que me pedir desculpa, nós não tínhamos combinado nada."

Arrumador [já visivelmente irritado]: "Eu estou-lhe a pedir desculpa!"

Cinderela: "E eu estou-lhe a dizer que me deve estar a confundir com alguém, porque eu não combinei nada consigo. Logo, não houve atraso nenhum."

Arrumador: "Então não me vai dar uma moedinha?"

Cinderela: "Não..."

Arrumador: "Malcriada!"

E tive de morder a língua para não me sair um "Vai mas é trabalhar, oh! Vai fazer alguma coisa de útil prá sociedade!", ao melhor estilo do Chato, mas achei que aí já me estava a candidatar ao enxerto de porrada matinal, e hoje não me dava jeito nenhum ficar sem dentes.
Agora a questão que se coloca é "Será que vou ter o carro intacto quando regressar?" Hmmmmm.... Não percam os próximos episódios, porque nós também não!

domingo, 13 de setembro de 2009

Directamente para o nosso estabelecimento

Estou orgulhosa! Ao fim de quase meio ano, eis que recebo o meu primeiro selo. Pelo menos o primeiro que me nomeia directamente.
É bom saber que há pessoas que perdem tempo a ler as minhas humildes palavras, mas, mais que isso, é bom saber que há pessoas que gostam desse tempo perdido. Obrigada às manas do Das duas, três! por este miminho. São umas queridas, vocês!

Mandam as regras que o passe a cinco outros blogs, não é? Pois bem, já que não o posso voltar a enviar a quem me homenageou com ele, escolho os seguintes:

- 3 gramas de purpurina (Porque a Messy tem uma forma de escrever que me ilumina os dias, cheia de metáforas e alegorias. Ela não sabe disso, mas já usei expressões dela na minha mensagem pessoal do messenger, com as devidas aspas, que eu não sou de ficar com os créditos por aquilo que não é meu. Fala, com doçura, de temas com que me identifico, e tem umas ilustrações fantásticas.)

- All About Neni (Porque a Neni é... Uma mulher a sério! E com a mesma graciosidade com que fala de roupas, de decoração, de livros e do amor, fala também de TPM! E foi a primeira pessoa a comentar o meu blog, por isso ficou sempre cá dentro! Ah! E tem um bom gosto capaz de rivalizar com o meu! hehehe)

- Borboletas e Pirilampos (Porque a D. ainda é nova nestas andanças e provavelmente também vai gostar de receber um miminho. E porque se algum dia alguém que me seja próximo precisar de uma terapeuta da fala, sei que não vou encontrar uma mais apaixonada do que ela. E porque hoje está triste e quero ver se a consigo fazer sorrir.)

- Amor Perfeito (Porque a Dina é de uma terra linda, na qual estão as minhas raízes. E porque, tal como eu, é um desastre para os lavores e é viciada em cosméticos. E partilha de uma forma simples e sincera as graças e desgraças do seu quotidiano.)

- Paddy (Porque esta miúda é sarcástica e irónica como poucos o sabem ser. É politicamente incorrecta e apesar de ter um blog-todo-rosinha-às-bolinhas, é do mais hardcore que pode haver. E gosta dos Friends. E dos Oasis. E do Harry Potter. E porque quase sempre me revejo nos posts dela, apesar de não falar de malas e sapatos. Identifico-me com ela, pronto.)

Agora, que até já fiz mais do que era suposto, ao justificar cada uma das minhas escolhas, vamos aos 3 desejos:

1. Saúde para todos os que amo. Parece coisa de velha de 80 anos, mas depois de tudo o que aconteceu este ano, percebi que é mesmo o mais importante e que quando ela falta somos capazes de dar tudo para a voltar a ter.

2. Que o novo projecto profissional no qual me vou envolver seja de sucesso, que me traga muita realização e, porque não, algum dinheirinho extra, também.

3. Que o novo emprego da minha Osguinha lhe corra pelo melhor, lhe dê muitas alegrias e perspectivas de carreira.

Mission Accomplished!

Groupie, eu?

Para nos lembrarmos da nossa essência, das coisas que nos tornaram as pessoas que somos hoje, nada mais eficaz do que um sonho ao melhor estilo adolescente, quando os ideais eram puros, quando queríamos mudar o mundo mas nem os móveis do quarto éramos capazes de reorganizar:

Os Oasis à porta de minha casa, a darem um concerto só para mim!

Foi lindo! Já nem me lembrava do quanto gosto deles, de como a banda sonora da minha vida é composta pelas suas músicas... Ainda bem que o meu inconsciente, volta e meia, se encarrega de me recordar daquilo que realmente é importante na minha vida!

No Natal, a Osguinha ofereceu-me 2 bilhetes para ir vê-los ao Pavilhão Atlântico, já que das vezes anteriores que eles vieram a Portugal nunca pude ir. Estava super entusiasmada por finalmente poder ouvir com os meus cinco sentidos aqueles hinos que sei de cor, que tantas vezes foram os porta-vozes dos sentimentos que eu não conseguia exteriorizar, por realizar um sonho que tinha desde os 12 ou 13 anos. Mas a vida trocou-me as voltas, e eu nem considerei a hipótese de abandonar a minha Mãe um dia inteiro sozinha no hospital para ir ao concerto.

Agora, o Noel diz que sai da banda para sempre e eu penso que, provavelmente, vou morrer sem concretizar este sonho... Ainda assim, e apesar do amargo de boca que ficou, não me arrependo da minha decisão. Mãe há só uma, e a minha precisava de mim naquele momento.

Ficam os CD's, os DVD's, os sonhos... E os bilhetes que fui incapaz de vender ou dar a alguém.

sábado, 12 de setembro de 2009

A queimar os últimos cartuchos de Verão

A nossa tarde teve natureza, caminhadas, fotografias, gelados, conversas parvas, piadas ainda mais parvas, e...

.... Sapatilhas*!


Porque gaja que é gaja, sabe ser linda e elegante mesmo usando o seu calçado de guerra.

*Estatísticamente falando, a sujidade aqui registada (principalmente no pézinho da Cinderela, o da direita) estabelece uma correlação positiva com a diversão que tivemos.

Ases pelos ares

E hoje há Red Bull Air Race, aqui em Gaia!

Ainda bem que o nevoeiro se foi! Obrigada, São Pedro, és o maior!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O update do date

Pois bem, parece que a Osguinha e o candidato a Sr. Osgo não se entenderam assim tão bem. Ele era simpático, giro, e tal, mas não houve aquela química entre eles. Para além disso, ele era uma fraude (estou a citá-la, note-se), porque quando se conheceram nada nele indiciava um problema de visão, e ontem ele apareceu de óculos.

Ora também eu fiquei surpreendida com este preconceito da minha irmã face a homens de óculos, tanto mais que nós também somos pitosgas (a genética é uma cabra) e se não fossem as lentes de contacto, essa grande invenção que revolucionou as nossas vidas, também nós passearíamos as nossas lunetas por onde quer que andássemos. Mas a questão, segundo a Osguinha, é mesmo essa: para caixa de óculos já chega ela. Quer, portanto, um homem com olhos de lince, que lhe garanta a possibilidade de um dia vir a ter uma prole oftalmologicamente saudável.

- Estava a ouvi-lo falar e só conseguia pensar que se viéssemos a dar certo, com a minha miopia e o astigmatismo dele, íamos acabar por ter filhos tipo toupeiras. - disse-me ela hoje. Ok, cada um com a sua paranóia...

Já fico muito contente por ver que ela está de novo em jogo, que já é capaz de sair, conhecer outros rapazes, que se está a dar uma oportunidade de vir a ser feliz. Foi uma primeira tentativa, ao fim de tanto tempo afastada destas lides, e se não deu certo, pelo menos abriu caminho para que outras se possam seguir. And that´s what matters!

11. 09. 2001


A flashbulb memory is a memory created in great detail during a personally significant event, often a shocking event of national or international importance. These memories are perceived to have a "photographic" quality. The term was coined by Brown and Kulik, who found highly emotional memories (e.g. hearing bad news) were often vividly recalled, even some time after the event.

Wikipedia


Em português, chamamos-lhes memórias cintilantes (Pinto, A. C.).

E vocês, ainda se lembram onde estavam quando tiveram conhecimento da queda das Torres Gémeas?

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Shiiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuuu!

Tenho um segredo para vos contar:

A Osguinha hoje vai ter um hot date com um giraço que conheceu no Sábado!

Não digam nada a ninguém, ok? Mas torçam para que corra bem, que ela merece!
É assim mesmo, mana! Mostra-lhes quem é a sex bomb do pedaço!

Este blog também fala de sapatos #2

Porque o Verão ainda aí está, e umas sandálias lindas são sempre um bom investimento, aqui vos deixo a foto do mais recente mimo para os pézinhos da Cinderela:


terça-feira, 8 de setembro de 2009

É o que se chama dar um passo em frente e dois atrás

Hoje de manhã pesei-me e constatei que tinha perdido 1,6 kg. Fiquei tão contente que, para comemorar, comi quase um Viennetta de nata inteiro. Algo me diz que eu e a balança não nos iremos voltar a ver tão cedo...


segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Se não nascesses, tinhas de ser inventada!


Noite de cinema com a minha osguinha. Ando ansiosa para ver o Inglorious Bastards, mas como sei que ela não é grande fã do Tarantino, escolhemos antes ver o The Ugly Truth, com a Katherine Heigl e o Gerard Butler. Tradução do nome do filme para Português: O ABC da Sedução (sedução, notem bem!).

Rapaz da Bilheteira: "Boa noite!"

Osguinha: "Boa noite! São 2 bilhetes para O ABC do SEXO (!), por favor."

Cinderela [que perante tal acto falhado da irmã não se controlou]: "Ah ah ah ah! ABC do Sexo?! Isso não era o programa da Marta Crawford?"

[Osguinha cora até à raiz dos cabelos.]

Rapaz da Bilheteira [com um sorriso maroto]: Fugiu-lhe a boca para a verdade!

[Osguinha cora ainda mais, olhando à volta em busca de um buraco para se esconder.]

E foi assim que me consegui rir mais com a compra dos bilhetes do que com o filme propriamente dito.

domingo, 6 de setembro de 2009

E por falar nisso... (Grey's Anatomy 6th Season Spoiler!)

... Não é que o George morreu mesmo? Estou desolada!

R.I.P. Dr. O'Malley.

Entretanto, o cartaz promocional da 6ª temporada já anda cá fora:

Grey's Anatomy Wisdom

Do you know when to walk away? Do you know when not to take less than you deserve? If you do, then you're an honorable man.

Preston Burke's mamma (talking to Derek)


Se me contentasse com tão pouco, não me estaria a respeitar e abriria o precedente para que outros viessem a fazer o mesmo. Sem falsas modéstias, sei que valho bem mais do que isso.
Saio a tempo de preservar a auto-estima, que tantos anos demorei a construir, e de manter o orgulho, que me acompanhará até quando tudo o resto se for. Saio de cabeça erguida.
Não, assim não.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Oh pra mim tão madura!

Sabemos que estamos realmente crescidas quando recebemos uma sms de um número que desconhecemos, a dizer-nos que somos o arco-íris (e mais umas quantas baboseiras que nem importa referir), e em vez de enviarmos o clássico "Quem és?", pensamos: "Que se lixe. Quem quer que seja, se ainda alinha nestes joguinhos, não é pessoa que valha a pena". E não damos mais importância ao assunto.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O cerne da questão

Ora aí está! Apesar de ter sido a declaração de que seria a empregada a tirar-lhe os caroços da fruta a que causou polémica e burburinho, eu sempre fui da opinião de que aquilo que realmente merecia ser discutido era o facto de Carolina Patrocínio dizer à boca cheia, naquele vídeo que todos já vimos, que preferia fazer batota a perder. Sim, a cara do Sócrates junto dos jovens admitiu a sua falta de escrúpulos! Tudo leva a crer que esse tenha até sido um dos motivos que levou o nosso Primeiro a convidá-la para sua mandatária, uma vez que esta é uma característica que ambos partilham (a diferença é que a Carolina, por ingenuidade ou burrice, o assume publicamente; quanto ao Sócrates, nega-o veementemente, apesar de os factos falarem por si).

Mas a Bad Girl, que pensa como eu relativamente a este assunto e a tantos outros, escreveu um post delicioso onde salienta estas coisinhas todas, sempre com aquele estilo que tão bem a define. Não deixem de o ler aqui!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Só para não elogiar o SLB

Não vi o jogo (só ouvi o relato no carro), mas não posso deixar de comentar:

- Que raio de equipa é que está a ganhar 8-0 (!) até ao final do jogo e precisamente no último minuto deixa o adversário marcar um golo? Nabos! É que até uma equipa com a auto-estima em frangalhos, como foi ontem o Vitória de Setúbal, assim em perfeita crise de auto-eficácia, é capaz de marcar ao Benfica!

8-1...!

No último minuto....!

Eu tinha vergonha, mas é...!