sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ainda a gripe

Começou por me doer a amígdala direita, depois a direita "curou" e a dor passou para a amígdala esquerda. Hoje acordei com a esquerda impecável, mas parece que tenho outra vez uma faca espetada na direita. Quanto tempo mais é que vamos andar nisto? É assim tão complicado ficar boa dos dois lados?

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Das desculpas para ficar em casa

Apesar da gripe, vim trabalhar. Já a pessoa que tem funções de coordenação, ficou em casa porque não arranjou boleia. Salienta-se que esta pessoa tem carro próprio e que a sua área de residência é minimamente bem servida de transportes públicos.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Blame it on the flu

Ora então, no dia 23, quando eu estava a contar fazer as minhas comprinhas de Natal, comecei a sentir uma moleza muito grande, a que se seguiram umas dores por todo o corpo e uma febre que me pôs a tremer a uma cadência espantosa. Vim para casa e meti-me na cama coberta até ao nariz, com um termoventilador mesmo apontado para mim. Diz quem lá esteve que o meu quarto parecia uma sauna, mas eu continuava cheia de frio e a tremer com tanta violência que chegaram a pensar que eu estivesse a convulsionar. Duas horas e 600 mg de ibuprofeno mais tarde, vieram os calores e os suores frios, e durante a noite instalaram-se as dores de garganta.
Quando a manhã de 24 chegou, percebi que não estava em condições de sair de casa. Parecia que tinha sido atropelada por um camião. A minha irmã ofereceu-se para comprar os presentes, pelo que prontamente aceitei a oferta. Faltava só o presente dela. De tarde, enchi-me de coragem e saí da cama. Vesti-me como se fosse enfrentar o clima da Sibéria, reforcei a dose de ibuprofeno e de paracetamol e fiz aquela que foi a visita mais curta de sempre ao El Corte Ingles. Foi literalmente chegar, comprar o bendito presente e vir embora. Pelo caminho, devo ter espalhado uns quantos exemplares do vírus da minha gripe, mas como o Natal é partilha, não deve fazer mal. Só me levantei da cama para jantar, e o resto do serão passei-o deitada no sofá, a tossir frutos secos.
Ontem e hoje a rotina foi a mesma. Enquanto a medicação faz efeito, lá consigo comer alguma coisa e manter uma posição mais ou menos vertical; quando o efeito passa, voltamos às dores, à febre e às camadas de cobertores que não me conseguem aquecer.

Espero que o vosso Natal tenha sido mais agradável do que o meu, e que esteja assim justificada a ausência de mails, mensagens, comentários e posts de feliz Natal.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

23 de Dezembro

Presentes de Natal comprados: ZERO.
Ideias para presentes a comprar hoje à tarde/ hoje à noite: ZERO.
Começo a ficar ligeiramente preocupada...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

E amanhã há mais 8 horas do mesmo

Acabo de chegar de uma aula de pós-graduação onde, para além de não ter aprendido rigorosamente NADA, ainda tive de assistir à projecção de uma apresentação em PowerPoint com ilustrações que incluíam o Winnie The Pooh.
A sério, se é para me fazerem perder o meu tempo e o meu dinheiro, ao menos podiam escolher bonecos menos panisgas.

E não se riam, que eu estou furiosa!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Pausa sem Kit Kat

Se....

a) ... ainda faltam mais de duas semanas para a passagem de ano;
b) ... a televisão não tem passado filmes sobre o Salgueiro Maia ou sobre a vida do Salazar;
c) ... não vejo palcos para os comícios do 1º de Maio;
d) ... não ouço martelinhos nem me cheira a manjerico e a sardinha assada;
e) ... tenho demasiado frio para sequer considerar a hipótese de estarem a decorrer arraiais de Verão;
f) ... me lembro perfeitamente de já ter assistido este ano às comemorações da Implantação da República;
g) ... nunca ninguém quer saber do dia em que recambiámos os Filipes para o lado de lá da fronteira.

Porque raio é que são praticamente 2 da manhã e da janela do meu quarto ainda vejo fogo de artifício?

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Podem mandar vir o Natal

Mais de um mês desde o fim do protocolo de tratamento. Mais de um mês sem as minhas "hard drugs". Exames: continua tudo ok.

Podia escrever muita coisa, mas tenho um trabalho para fazer e se começar já talvez o acabe antes das 6 da manhã e ainda consiga dormir umas duas horas.

E não estou apaixonada

Estou feliz e bem-disposta e duvido que hoje alguém consiga mudar o meu humor.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Se fosse a Everybody Hurts o caso mudava de figura

Fui falar com um dos meus professores. Durante a conversa, o telemóvel dele tocou, com a Losing My Religion dos REM. E pronto, agora até me pode dar má nota, ou ir para as aulas com a matéria mal preparada, que eu vou continuar a gostar sempre dele e a admirá-lo muito.

Não sei se ficou claro, mas para mim o problema do ensino superior em Portugal resume-se a mau gosto musical por parte do corpo docente.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Dear Santa #20

Mais um relógio, que eu bem preciso de controlar o meu tempo. Desta vez em dourado, retro, como se quer.


Casio A 168 WG

 Casio A 178

Qualquer um dos dois, que eu não sou esquisita.

A vingança serve-se fria

Num dia como o de hoje, por exemplo.

Sinto-me como nos tempos em que jogava futebol

Saí à rua com umas daquelas meias pelo joelho, por cima dos collants. Até sou capaz de me habituar.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Deve ser da chuva

Se eu disser que hoje até gostei de passar a tarde toda a estudar, vocês mandam-me internar já, ou ainda me deixam passar as festas com a família?

I ♥ heat

Todos os aquecedores/ radiadores/ termoventiladores cá de casa têm nome próprio. As leis da convivência assim o ditam.

Curiosamente, a lareira continua apenas A Lareira...

Messed up

Ainda bem que não consegui os bilhetes para os James. Esta noite não haveria de forma alguma espírito para concertos.

sábado, 4 de dezembro de 2010

A. L.

Foi hoje o funeral. Foram quase dois anos de luta, de avanços e recuos, de sofrimento e de esperança que terminaram com a derradeira vitória dessa maldita doença. Ninguém devia morrer aos 20 anos, com a vida toda pela frente. Ninguém devia receber um diagnóstico assim aos 18. E por muito que o meu coração se sensibilize com a dor daqueles pais, é a irmã quem mais me aflige. Porque eu não sou mãe, mas sou irmã e sei o que é crescer ao lado de alguém e amar essa pessoa até ao infinito. Alguém com quem brigamos e fazemos as pazes vezes sem conta; com quem partilhamos a genética, os brinquedos, os lanches, a roupa, todas as alegrias e todas as tristezas... Alguém com quem aprendemos e a quem ensinamos, que no essencial sente e pensa como nós... Uma companheira em todas as horas, uma cúmplice com quem comunicamos sem palavras, que conhece o nosso melhor e que não nos abandona nem no nosso pior.
A minha irmã é a minha pessoa e eu dava a vida por ela. E de longe, percebi que a relação daquelas duas miúdas era como a nossa. É por isso que hoje choro quem mal conheço.

A ver se a gente se entende

Este é o Dobby (Harry Potter)





Este é o Gollum (Lord of the Rings)





E este é o Yoda (Star Wars)


A geek que há em mim sente uma certa urticária quando vê por aí confusões.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Hipotermia

Há pouco, o termómetro do meu carro marcava  0º C. Sim, ZERO GRAUS. E não quero saber se comparativamente com resto da Europa esta é quase uma temperatura tropical, ou se em Bragança e na Covilhã é que faz frio a sério... Eu moro em Gaia, uma cidade do litoral. Não era suposto ser assim.

Coisas do demónio


Dark belgian chocolates with a smoth dark chocolate filling

70% cacau. Aqui, na gaveta da minha mesa de trabalho. Não me consigo concentrar enquanto não acabar com eles. Sou uma fraca.

Ainda a solidariedade

Já agora, se alguém conseguir arranjar um emprego ao António, estejam certos de que estarão a mudar a vida de uma família. Ele tem pouca escolaridade, mas tem muito boa vontade, é uma pessoa íntegra, com experiência em várias áreas, e está disposto a desempenhar qualquer função (desde que honesta). Se precisarem ou se tiverem conhecimento de alguém que precise de um colaborador aqui no grande Porto, já sabem...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Vamos todos ajudar alguém?

O António está desempregado. Tem muita vontade de trabalhar, mas não arranja emprego. A mulher está de baixa e o que recebem mal dá para fazer face àquelas despesas básicas (casa, água e luz). Sobra-lhes muito pouco para comer, e o que comem não é suficiente (nem em quantidade, nem em qualidade). Quando precisa de ir algum lado, o António vai a pé. Vai a pé ao Centro de Emprego, ao Centro de Saúde e à Segurança Social, onde tem, sem sorte, tentado obter alguma ajuda. Mesmo em dias como o de hoje, frios e de chuva, e mesmo andando subalimentado, o António anda a pé, porque o dinheiro não chega para os transportes.
Para poder comprar os medicamentos da esposa, o António deixou de tomar os seus. E a falta que aqueles remédios lhe fazem...! Há pouco tempo, fizeram-lhe uma proposta de trabalho para França. Ele queria muito ir, mas não tem dinheiro para a viagem. Por irónico que pareça, até para se sair da pobreza é preciso ter algum fundo de maneio.

Eu conheço este António, mas há muitos outros por este país fora. E quem tem alguma coisa, mesmo que não seja muito, tem obrigação de partilhar. Hoje são eles, amanhã podemos ser nós. Assim, desafio-vos a trocarem os vossos jantares de Natal por lanches de Natal e a darem o dinheiro que poupam a alguém que dele necessite para poder ter uma vida mais digna. E quantos de nós não têm vários jantares nesta altura do ano? O do trabalho, o dos colegas de faculdade, o dos amigos... Será que precisamos mesmo dessa desculpa para nos reunirmos? O efeito não seria o mesmo se trocássemos a comida por um simples chá ou café e se fizessemos estes gastos reverter a favor de quem mais precisa?
No que me diz respeito, vou fazer a minha a parte. Conheço pelo menos duas famílias carenciadas, e nem me sentiria bem na noite de Natal, em frente a uma mesa cheia de iguarias, sabendo que nada fiz para alegrar as festas de quem talvez nem sopa tenha. Façam o mesmo, ajudem a tornar melhor a vida de alguém. Nem que seja só por um dia.

Not classy. At all.

Chamem-me púdica, mas não acho piada nenhuma às fotos de vibradores nas supostas revistas femininas, metidas entre um creme para o rosto e uns pumps para a passagem de ano.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sis

Because you wear suits and you're AWESOME.


Think of me like Yoda, but instead of being little and green I wear suits and I'm awesome. I'm your bro — I'm Broda!

Barney Stinson, How I Met Your Mother

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Maybe...

And maybe a happy ending doesn’t include a guy, maybe… it’s you, on your own, picking up the pieces and starting over, freeing yourself up for something better in the future. Maybe the happy ending is… just… moving on.

He's Just Not That Into You


Pronto, agora que comecei a citar filmes desta qualidade, ninguém me pára.

Ao pessoal do Norte

Há por aí alguém que me queira vender 2 bilhetes para o concerto dos James, no Pavilhão Rosa Mota? Cinderela e sua irmã agradecem do fundo do coração.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Barcelona

Porque as imagens valem muito mais do que as palavras, aqui ficam algumas das fotos do meu fim-de-semana.
Uma viagem a repetir, sem dúvida alguma.

















sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Antes só que sempre acompanhada

Cinderela: Vens ao jantar de Natal?
Colega de mestrado: Se puder levar o M., eu vou. Sem ele, está fora de questão.

Não são gémeos siameses; são namorados.
Não são adolescentes; têm ambos mais de 30 anos.
Não namoram há 15 dias; estão juntos há mais de 4 anos.
O jantar é exclusivamente destinado às pessoas que frequentam o nosso mestrado.
Ninguém mais conhece o M., a não ser ela.

Digam o que disserem, isto para mim não é uma relação saudável.

Uma pessoa não é de ferro

Crepes, nutella, natas do céu, gelado Carte D'Or, chocolates Toblerone, Kinder Bueno... Como é que se consegue emagrecer quando se vive numa casa onde há sempre tantas lambarices e guloseimas?

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

terça-feira, 16 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Elucidem-me, por favor!

Como é que eu sei se faço ou não retenção de líquidos? Precisava de saber se estou efectivamente gorda ou se me estou só a transformar numa barragem...

domingo, 7 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Livin' la vida loca

Sábado à noite e eu em casa, a trabalhar. Não haja dúvidas de que eu aproveito bem a minha juventude.

Vou fazer de conta que foi um elogio

Pessoa: Tu até és bastante normal, para quem tem a profissão que tu tens.
Cinderela: Obrigada... Acho eu.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

À minha pequena grande torcida:

Hoje é O dia. OBRIGADA por nunca me terem deixado sozinha nesta luta. No meio de tanta falta de sorte, saiu-me o euromilhões por vos ter ao meu lado. DESCULPEM os ataques de fúria e de choro que tiveram de aguentar, as preocupações que vos dei e a mudança que provoquei nas vossas rotinas. Um dia hei-de compensar-vos por tudo.
À falta de melhores palavras, deixo-vos as do Carlos Drummond de Andrade, num vídeo que vale cada segundo (liguem o som).

E por favor, continuem a torcer por mim como até agora, que a guerra ainda não está ganha.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Quem me manda a mim ser burra

Saio do trabalho às 22h10. Venho para casa carregada de pastas e dossiers e fico acordada até às 5h20 da manhã a pôr tudo em ordem para o raio da auditoria. Hoje, ainda nem eram 10h e já o anormal que anda por lá a brincar aos chefes (o mesmo que foi para casa às 18 e que deve ter passado uma noite santa) me estava a ligar, para saber o motivo de eu ainda não estar a trabalhar numa altura destas.
A sério, vocês segurem-me com força, que eu estou capaz de o espancar!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Nem sempre foi assim

Às vezes pergunto-me em que parte do caminho me tornei tão medrosa e assustada. Deve ter sido mais ou menos na mesma altura em que o (meu) mundo se tornou tão injusto e tão feio.

domingo, 31 de outubro de 2010

Às doentes de serviço


Mas afinal, que raio de ideia foi essa de arranjarem gripes e constipações nesta altura, ah? As meninas vejam lá se se põem boas, que esta é a minha terceira noite preferida e eu tenho uns collants de halloween à espera de serem estreados desde o ano passado.
Pronto, vá, o importante é que fiquem bem... As melhoras para as duas!

É meu e eu gosto dele assim

O meu pai sabe que ando com este trabalho pelos cabelos e que já estive mais longe de mandar tudo às urtigas. Hoje (já é ontem, que o raio das horas passam a correr no fim-de-semana) entregou-me o caderno de empregos do Expresso com uma cruzinha a assinalar os anúncios da minha área, pedindo-me apenas para verificar se os que vêm em Inglês interessam, já que ele não percebe nada da língua de Shakespeare. Tenho uma mãe que se a deixarem me deforma as bochechas com tantos beijos, e um pai que arranja estas formas pouco convencionais de demonstrar o carinho que sente.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ironic Mode: ON

Que saudades destas noitadas passadas a estudar!

E só de pensar que daqui a menos de 2 horas e meia começam os preparativos para mais um dia de trabalho e eu continuo sem estar minimamente preparada para o teste, enche-se-me o peito de felicidade.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Prioridades

Tenho o meu primeiro teste do mestrado na quarta-feira e em vez de aproveitar o pouco tempo que tenho livre para estudar, ando aqui na Internet à procura de um wallpaper de halloween para o telemóvel.

Juntar o útil ao agradável

Pensamento recorrente, que me assola sempre que me incompatibilizo com o computador:

Espero bem que o meu próximo namorado seja um computer geek e que saiba tudo de informática!*

E nem queiram saber dos outros pré-requisitos...

*Não, ainda não estou preparada para dar início ao processo de recrutamento e selecção, mas quando acontecer vai ser uma coisa muito bem estruturada e organizada. Desta vez não me deixo levar por sorrisos bonitos e falinhas mansas.

domingo, 24 de outubro de 2010

Surpresa!

Sem eu estar a contar, dizem-me que o vôo e o hotel já estão marcados: escapadinha de fim-de-semana com destino a Barcelona, para a qual fui expressamente intimada. O timing é perfeito, os companheiros de viagem não poderiam ser mais divertidos e eu não sou pessoa de fazer desfeitas destas a quem tem tanto apreço por mim.
Vamos lá, espalhar charme por essas Ramblas!

Oh joy!

Sabemos que a nossa vida é realmente deprimente quando nos damos conta de que ficamos contentes por saber que o Continente agora está aberto aos Domingos à tarde.

Podia alegar, em minha defesa, que estou mesmo a precisar de comprar marcadores fluorescentes e pastas de arquivo, mas isso provavelmente não muda nada.

sábado, 23 de outubro de 2010

Empiricamente comprovado

Mais tarde ou mais cedo, as pessoas acabam sempre por nos desiludir. Todas elas, sem excepção. É tudo uma questão de tempo.

Where do they all come from?

Tenho medo de um dia vir a ser uma Eleanor Rigby.
Pronto, já disse.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Alzheimer

A minha vizinha de cima deve ter uns 85 anos e neste momento não me deixa dormir porque está aos berros a chamar pelo pai. Imagino como é que o marido e os filhos se devem sentir ao vê-la assim, tão desconectada do presente. De todas as coisas más que a velhice pode trazer, a demência é a que mais me assusta.

sábado, 16 de outubro de 2010

"It's like a throbbing toothache of the mind"

Um vazio muito grande que não sei como preencher, uma dor difusa e inespecífica que não passa com analgésicos... Hoje precisava de uma anestesia geral para a alma.

Vou guardá-las sempre

Hoje o dia valeu a pena pelas tuas palavras. Obrigada por acreditares em mim nestes momentos em que nem eu própria acredito. És a melhor do mundo inteiro.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Long time no write

Então, Cinderela, o que é feito de ti? Fartaste-te de brincar aos blogs?

Gostava muito de vos dizer que conheci o amor da minha vida e que não tenho cá vindo porque agora todos os minutos livres são para passar com ele, mas a verdade está longe disso, muito longe, mesmo. Amores não os há, e tempo livre é coisa que também não abunda por estes lados (dadas as circunstâncias, esses até acabam por ser os menores dos meus males).
Mas os porquês não são relevantes. O que importa é que nesta semana de ausência forçada senti muita falta de vir aqui registar as parvoíces do costume, pelo que, agora que as coisas estão mais sossegadas, vou fazer por pôr a escrita em dia.

Me aguardem, gente!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Ainda nem comi as primeiras castanhas assadas

Hoje já vi à venda Calendários do Advento e Pais Natais de chocolate.

Do Centenário da República

É impressão minha ou o D. Duarte de Bragança tem andado muito calado por estes dias?

Dudu, honey, não fiques assim. Com a palhaçada em que a República se tem tornado, ainda havemos todos de desejar ver-te no trono.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

The final countdown

Daqui a exactamente um mês termina uma longa e dolorosa fase da minha vida. Nesse dia, quero um jantar especial, com a minha gente junto a mim; quero sorrisos genuínos e a we are the champions a tocar em replay. Quero chapéus de festa e serpentinas, abraços sentidos e olhares de orgulho - sim, porque ninguém diria, há quase um ano atrás, que aquela meia-dose de gente se ia aguentar tão bem. Quero tanto festejar, que se eu pudesse decretava feriado nacional.
Porque a verdade é que não sei se esta vitória será definitiva, se daqui a algum tempo o pesadelo não vai regressar, mas se há coisa que eu aprendi é a não desvalorizar as conquistas que a vida nos permite fazer.
Muitas coisas más me têm acontecido, mas finalmente uma coisa boa vai ter lugar, já daqui a um mês. É cruzar os dedos, acreditar que não foi em vão, e esperar nunca mais ter de passar pelo mesmo.

domingo, 3 de outubro de 2010

Galochas

Parece que este ano nos vamos reencontrar um bocadinho mais cedo...

U2

Um dia, quando menos esperares, sais para a noite do Porto e cruzas-te com o Bono Vox.

Não sou propriamente fã dos U2, gosto de algumas músicas, mas não considerei sequer a hipótese de ir ao concerto deles. Infelizmente, cedo a todas as chantagens emocionais da minha irmã, e à conta disso acabei por estar tão perto do Bono que se esticasse o braço tocava-lhe.
Não vos quero maçar com detalhes que não interessam a ninguém, mas se houver por aí alguma groupie interessada, os homens de Dublin passaram a noite no Hotel Infante Sagres, na baixa do Porto (Praça D. Filipa de Lencastre). Pelo que pude perceber, rumam novamente a Coimbra hoje à tarde.
O Bono é muito simpático, deu beijinhos e alguns autógrafos às meninas que se descabelavam e gritavam por ele. O The Edge foi mais reservado, alguns acenos apenas.

Se foi um momento marcante? Nem por isso. Admiro mais a filantropia do que a música dos U2, mas foi curioso eu não ter feito o mínimo esforço para vê-los e mesmo assim eles terem surgido do nada, mesmo à minha frente.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Tão giro, isto de ter um smartphone novo com 1001 funções

Agora a sério, como é que se manda uma simples MMS?

Folhas caídas


Gosto do mês de Outubro, da chegada do Outono, das tonalidades quentes que contrastam com os primeiros dias frios. Sou apaixonada pelo Verão e pelo calor, mas é bom poder contar com a previsibilidade da natureza no meio do caos em que às vezes a vida se torna, e eu sou mais feliz quando as estações mudam, com as promessas dos novos começos. É por isso que mal posso esperar por calçar botas pela primeira vez e pelo reencontro com os casacos quentes. Estou ansiosa para que se abra oficialmente a época dos magustos e dos Ferrero Rocher, pelas festas de halloween e pela mudança da hora.

Setembro

Ansiedade e stress nos píncaros. Muito trabalho. O início do mestrado. A continuação da pós-graduação. Demasiados analgésicos e antipiréticos (viva o doping) para me aguentar em pé. Hemoglobina em mínimos históricos. Cansaço. Privação de sono. Algumas noites simpáticas. A sensação de que estou finalmente a seguir em frente.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sou mais feliz assim

Preciso muito de acreditar que a rapariga que eu hoje vi no metro com uma sweatshirt a dizer BlowJobs (em letras garrafais) não percebe nada de inglês.

domingo, 26 de setembro de 2010

Sou tãoooooo info-incluída!

Vai-se a ver, e afinal até tenho uma conta no Twitter, criada há quase um ano e meio atrás, num dia em que baixou em mim a curiosidade e quis ver como é que aquilo funcionava.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Memorando

Acender sempre as luzes, independentemente de estarmos certos de já conhecer de cor o trajecto quarto-cozinha. Nunca se sabe quando é que a nossa mãe se vai lembrar de mudar a disposição dos móveis, e pernas cheias de nódoas negras é coisa que não fica bem a toda a gente.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Leis de Murphy e telecomunicações

- Fico sempre sem bateria nos momentos em que mais preciso do telemóvel.
- Quando trago o carregador comigo, por muito fraca que a bateria esteja, ela acaba sempre por se aguentar; se há um dia em que deixo o carregador em casa, o telemóvel desliga-se de repente, sem sequer dar sinal de low bat.
- Se alguma vez me esquecer de bloquear o telemóvel (coisa raríssima) e ele desatar a fazer chamadas para o último número marcado, esse último número há-de sempre pertencer a um contacto profissional (nunca a um familiar ou a um amigo próximo).
- Posso passar o dia a ter conversas muito interessantes, mas no momento em que o telemóvel ganhar vida própria e ligar para os tais contactos profissionais, vou estar inevitavelmente a proferir um chorrilho de disparates (inteiramente perceptíveis para quem está do outro lado, diga-se de passagem).

Pós-férias e sem feriados

É de mim, ou este mês de Setembro é enoooooooooorme?

domingo, 19 de setembro de 2010

Love my Wii

Lesionei-me a jogar ténis. Suspeito de uma ruptura de ligamentos provocada pela falta de aquecimento. E esta até tinha potencial para ser uma lesão com algum glamour, Maria Sharapova style, não fosse dar-se o caso de o jogo de ténis ter tido lugar na sala cá de casa, e de na altura eu envergar um pijama aos bonecos e ainda ter na cara as marcas da almofada.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Dear Santa #18

Porque o Outono está já aí a chegar, era um destes shearling aviator jacket, tipo os da colecção da Burberry Prorsum, se faz favor*!



Repara que eu disse tipo os da Burberry Prorsum, o que significa que estou disposta a receber um de outra marca qualquer, desde que seja giro e me fique bem.

*Tem é de ser o modelo aviator, nada de confusões com o biker, ah?

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Dias de 48 horas

Ao fim de muitas horas perdidas no Google Agenda a tentar reorganizar os meus compromissos, a conclusão a que chego é a de que é impossível conciliar tudo. Não há ginástica nem criatividade que me valham no meio de tantas sobreposições. Ou me concedem rapidamente poderes de omnipresença, ou alguma coisa vai mesmo ter de ficar para trás.


Hoje é dia de festa

Duas pessoas que me são muito queridas fazem anos hoje. Uma delas recebeu mensagem logo à meia-noite e vai já receber telefonema para combinarmos os festejos (vários dias, gipsy style); a outra ainda não recebeu nada da minha parte. Diz que lá no Céu não usam telemóveis...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Just for the record

Se hoje alguém achar que estou com cara de que todos me devem e ninguém me paga, fiquem a saber que até é verdade.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Uma espécie de dom

Se dar nomes a animais fosse uma profissão, eu seria a profissional mais requisitada na área.

Víboras, serpentes, cascavéis & Cia. Lda.

Trabalho num ninho de cobras. E não adianta limitar-me a fazer o meu trabalho e ignorá-las, que elas arranjam sempre forma de me vir desinquietar ao meu cantinho.
Primeiro tinha pena delas, achava que para destilarem tanto veneno e serem tão mesquinhas e invejosas, é porque deviam ser pessoas muito infelizes; agora continuo a achar que são infelizes, mas já me aprontaram tantas, que deixei de conseguir sentir pena.

Bem, pelo menos um projecto já tenho: arranjar um emprego com melhores colegas (ou pelo menos um onde o salário compense o facto de ter de aturar gente assim). É que parecendo que não, já travo todos os dias batalhas suficientes, daquelas mesmo importantes, pelo que não me posso dar ao luxo de gastar as minhas preciosas energias em guerrilhas ridículas, que devem ser a única fonte de alegria de gentinha incompetente e mal formada.

sábado, 11 de setembro de 2010

cheiodespeed@xyz.com

Endereços de e-mail do tipo eurico-rapido@xpto.pt (ou quaisquer outros que façam alusão a velocidade) deixam-me invariavelmente a pensar que o proprietário ou é um Obikwelu em potência, ou sofre de ejaculação prematura.
Vá-se lá saber porquê, a segunda hipótese é quase sempre a que ganha mais consistência na minha mente.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Planos precisam-se

Agora criaram-me (criei?) a ilusão de que a maré de má sorte vai acabar em breve e de que é hora de voltar a pensar a longo prazo, a ter projectos e sonhos. E eu sinto-me um bocadinho perdida, desorientada, sem saber bem por onde começar.  Se por um lado ainda tenho receio de que haja por aí mais alguma bomba com o meu nome escrito, por outro sei que a minha vida já ficou em pause durante demasiado tempo e que tenho de começar seriamente a pensar em carregar no play.
O problema é que estas coisas nos mudam, e se há dois anos atrás eu sabia exactamente o que queria, hoje apenas sei o que não quero. Avizinha-se uma forte crise existencial...



The Masterplan, Oasis

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O normal

Há dias em que vejo que não vale mesmo a pena. Uma pessoa esforça-se, faz das tripas coração, dá o seu melhor (dadas as circunstâncias) e o retorno que recebe é este. Estou triste, magoada e desiludida. Nada de novo, portanto.

O real amor



Will you still need me, will you still feed me when I'm sixty four*?

The Beatles (vénia com a testa quase a tocar no chão)

* A música mais fofa de sempre. Duvido que haja alguém não a conheça, mas se for o caso, não podem deixar de aproveitar a dica.

Lady of the Rings

Percebi hoje que nos últimos tempos ganhei o hábito deveras irritante de estar sempre a tirar e a pôr os anéis nos dedos. Se não tiver as mãos ocupadas, não faço outra coisa. Isto é o quão inquieta e ansiosa eu ando.

domingo, 5 de setembro de 2010

sábado, 4 de setembro de 2010

Dear Santa #17

Como é que eu nunca tinha reparado nestas colecções de relógios da Adidas? Era um de cada modelo, se faz favor!


Peachtree



Candy



Taipei

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

É uma alegria

Estou a orientar um trabalho de pós-graduação de uma aluna que não faz a mínima ideia do que é um artigo científico (e muito menos de como escrever um) mas que fica extremamente ofendida quando as pessoas não a tratam por Dr.ª. 

Viva os títulos académicos, as universidades de vão de escada, os facilitismos e o Processo de Bolonha!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Estimados fregueses,

Este blog tem, nos últimos tempos, adquirido um cariz altamente fútil.  Ele são posts sobre jóias, sobre vestidos, autobronzeadores, pedicures... Mas V. Exas., pessoas ávidas de estimulação intelectual de ordem superior que procuram neste modesto espaço a plenitude cultural e espiritual, queiram fazer o favor de não desesperar, que o Estórias da Cinderela aguarda em breve a publicação de uma brilhante dissertação sobre o impacto do alho-francês na economia do Burkina Faso.

Gratos pela compreensão, lamentamos desde já o transtorno causado.

A gerência.

Então é isso...!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Pedicure (versão home made)

Deve haver coisas piores para a coluna do que arranjar as unhas dos pés, eu é que assim de repente não me lembro de nada.

Sacrilégio

Acabei de ouvir uma colega dizer que já estava farta de férias e que ao fim de três dias já não sabia o que havia de fazer com tanto tempo livre.

O vestido - o fim da saga

A minha mãe viu-me tão desgostosa que me ofereceu um vestido novo, igual ao outro. É mesmo fofinha, ela!
Ainda assim, continuo com fortes desejos de vingança da costureira.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Um conselho para a vida

Cuidado com os autobronzeadores. A sério, é muito triste estarem uns 35ºC e nós de mangas compridas...

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Rentrée

Foi o meu primeiro dia de trabalho depois das férias. Deu-me muita vontade de fugir de lá para fora e vir a correr para casa, mas consegui contrariar esse reflexo e aguentar-me. No fundo, não foi o dia de hoje que me custou, mas antes os dias que eu sei que me esperam daqui até ao final do ano, assoberbada de trabalho e sem tempo para nada. Dái-me paciência, Senhor, muita paciência! Ou então um prémio substancial no Euromilhões...

O vestido - take II

A grandessíssima cabra deu-me cabo do vestido. Um vestido novo, por estrear, lindo de morrer e com um corte perfeito. Apertou-o tanto que agora não há quem lá meta o rabo dentro. Odeio-a com todas as minhas forças!

Long story short, paguei o vestido, paguei à costureira para o pôr à minha medida, voltei a pagar porque ela é uma incompetente e não deixou as coisas bem à primeira, e no fim acabei por ficar sem ele. Faz sentido e não me sinto mesmo nada otária.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Vai é sair mais caro

Percebemos que estamos mesmo a ficar crescidas quando passamos a torcer o nariz a praticamente tudo o que é bijuteria e finalmente começamos a dar valor às jóias a sério.

Vês, mãe? Eu bem te disse que mais tarde ou mais cedo ia acabar por acontecer, era só uma questão de paciência.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Tipo Yahoo Answers

Queimei-me por causa de umas estúpidas de umas pipocas que ainda por cima ficaram intragáveis. Para me vingar, comi-as assim mesmo. Haverá registo prévio de alguma morte por ingestão de pipocas estragadas, ou será que ainda tenho aqui uma hipótese de vir a ser citada nos anais da medicina?

2 meses e meio

O fim da minha tortura já tem data marcada! Continuo em remissão, sem sinais da doença, e  no início de Novembro páro com o tratamento. Já ando nisto há tanto tempo, que parece que já nem me lembro da minha vida de antes, sem as picadas, sem os químicos e a toxicidade da medicação, sem as biópsias, sem a febre, sem as dores, sem o cansaço (que não passa, por muito que eu descanse), sem as anemias e mais o resto dos efeitos secundários todos, que me têm deixado de rastos.

Estou na recta final. Que não me faltem as forças agora!

...

Só quem passa por elas é que sabe. A ansiedade, o nó na garganta, os nervos descontrolados... O medo. Será que volto para casa com boas notícias? Será que vou ouvir aquilo que não quero? E isto repete-se a cada exame, a cada consulta.
Dias e dias passados a ler sobre o assunto, a deitar contas às probabilidades que vêm descritas nos manuais e nos artigos científicos, que por melhores que sejam, nunca são suficientes. E as estórias dos outros, que tanto nos enchem de esperança como nos deixam desesperados; a hipervigilância em relação ao nosso corpo, a obsessão por cada pequena dor, por cada sintoma que surja. E o receio de falar deles aos médicos, aquela crença irracional de que quem procura acha, e de que se investigarem vão acabar por encontrar mais alguma coisa.

Há dias em que sou a super-mulher, mas hoje não é um deles. Falamos quando eu voltar.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Já não se fazem teen idols como antigamente

Sábado à noite vi-me arrastada para um concerto de um tal de JP, que eu não conhecia de lado nenhum porque aparentemente é uma das pseudo-estrelas dos Morangos com Açúcar, e só quem tem tipo 15 anos e muito acne é que sabe quem ele é. Anyway, espero que o puto seja bom actor, porque a cantar não se safa.

3D

Estou rendida. Pena que os bilhetes custem praticamente o dobro do preço...

sábado, 21 de agosto de 2010

Bens essenciais para as férias


Carregadinho de músicas. Bem, na verdade não tão carregado assim, que dos 120 Gb de capacidade, eu só tenho 2 Gb ocupados. Mas nisto o que importa é a qualidade, e não a quantidade.


Directamente da minha mesa-de-cabeceira, onde já anda há alguns dias. Estou naquela parte em que a morte resolve enviar cartas com uma semana de antecedência às vítimas. (Isto não conta como spoiler, pois não?) Não é a melhor obra do Saramago, mas ainda assim vale muito a pena.


E como sou fascinada pela Idade Média e toda a gente me diz que eu vou adorar este livro, cá veio ele. Entra em campo quando o anterior se esgotar. A ver vamos se é assim tão bom como dizem.