sábado, 12 de junho de 2010

Killer shoes

Ontem calcei uns sapatinhos vermelhos bem giros. Calcei-os e fui ao hospital, que é, a seguir ao meu local de trabalho e à minha casa, exactamente por esta ordem, o sítio onde é mais provável encontrarem-me. Pois bem, devo ter andado uns 500 metros a pé, se tanto, e fiquei logo com uma bolha gigante no calcanhar, que com a continuidade da fricção, acabou por rebentar e transformar-se numa ferida bem feia. Como já estava atrasada, ao voltar para casa limitei-me a trocar os sapatos por umas sandálias. Nada de limpar a ferida, nada de a desinfectar, nem um penso a cobri-la, sequer.

Deviam ser umas 5 da manhã quando acordei com uma dor lancinante na zona do dito ferimento. À volta, tudo vermelho, inchado e dorido. Oh meu Deus! Está tudo infectado, possivelmente já a gangrenar! (De madrugada, tenho tendência para ser um bocadinho dramática.)
Toca de sair da cama e de fazer aquilo que não fiz na devida altura: lavagem com água e sabão, betadine e um penso. Aos poucos foi doendo menos e lá voltei a adormecer. Agora está com melhor aspecto, e já acho que talvez não morra disto. Pelo sim, pelo não, os sapatos já foram condenados por tentativa de homicídio.

6 comentários:

Luisa Corte Real disse...

Beleza...a quanto obrigas!


Beijocas

Leana disse...

Vou juntar os meus azuis que me partiram o pé aos teus vermelhos, e sentá-los no banco dos réus, e seremos nós, as vítimas da sua crueldade, a julgá-los.
Que dizes?

*C*inderela disse...

Eu infelizmente sofro imenso com sapatos de verão. É só bolhas e feridas ... rrr.

Bjokas *****

A mais velha disse...

raisparta os sapatos lindos...

buu

Me disse...

Mete um penso no lugar da bolha e experimenta outra vez;)

Bisouxxx

Olhos Dourados disse...

Já me aconteceu dessas também!